O CAMINHO DO SUCESSO PARA A JORNADA DO ESTUDANTE.

O Ensino à Distância (EAD) é um segmento em expansão no Brasil e apresenta tendência real de crescimento. A escolha do aluno por um curso superior na modalidade EAD tem a acessibilidade  como um dos fatores principais para a escolha. Segundo dados do ENADE 2014, divulgados pelo MEC/INEP, o perfil das IES privadas corrobora com esse apontamento, uma vez que 66% dos alunos do EAD têm mais de 30 anos , 85% trabalham, 52% contribuem para o sustento da família e 67% possuem renda familiar média de até 3 salários mínimos. Em contrapartida, no ensino presencial o aluno é mais jovem, com apenas 30% na faixa acima de 30 anos, 23% possui renda inferior a 3 salários mínimos, 64% trabalham e 30% ajudam com as despesas da casa, ou seja, a maioria das pessoas que optam pelo Ensino à Distância são atraídas por sua flexibilidade de tempo e valores mais acessíveis. De acordo com dados do Censo de Educação Superior de 2015 (INEP), mais de 20% das matrículas das IES privadas já são na modalidade à distância, cuja oferta tem crescido a taxas superiores ao ensino presencial nos últimos anos. Os cursos mais procurados são Pedagogia, Administração, Licenciaturas e Tecnólogos da área de gestão.

Como qualquer mercado em expansão, ter um diferencial é fundamental para acompanhar a oferta e atender à demanda crescente. Em um segmento em que a marca se destaca somente no local onde a IES possui o modo presencial, o preço é fator preponderante. Entretanto, o bom relacionamento com o estudante, desde o momento da escolha pelo curso e instituição de ensino, até a matrícula e seus primeiros meses como aluno, é primordial. Segundo pesquisa realizada este ano pela Educa Insights, o relacionamento com o candidato e com o aluno representa 60% dos fatores-chave para a satisfação do aluno com a instituição. A pesquisa consistiu no acompanhamento da jornada do estudante da modalidade à distância, por meio de inscrição em processos seletivos e matrícula em 16 das maiores instituições de ensino do país, representando 88% das matrículas de EAD. Foram avaliados quatro aspectos da jornada do aluno: inscrição, processo de vestibular, serviços ao estudante e a experiência com o curso.

Na etapa de inscrição, a maioria das IES foram bem avaliadas em relação aos sites – amigáveis e fáceis de encontrar em sites de buscas –, fichas de inscrição intuitivas e campanhas de marketing atrativas, chamando a atenção do prospect. Já em relação a informações sobre os cursos e diferenciais, somente metade das instituições da pesquisa foram bem avaliadas, e pouco mais da metade conseguiu se destacar nas réguas de relacionamento, isto é, no contato constante e com conteúdo relevante para auxiliar o candidato no processo seletivo e demais etapas. Nesse período, poderá se destacar a IES que conseguir se relacionar de maneira efetiva com o candidato, chamando atenção para seus diferenciais em metodologia, grade de cursos e serviços ao estudante – como lembretes para realizar a prova do vestibular, bom atendimento no Polo, infraestrutura adequada e comunicação assertiva.

(Gráfico: A Jornada do prospect: da inscrição até a rematrícula/ evasão)

 

Após a prova do vestibular, a pesquisa demonstrou que apenas pequena parcela das IES conseguiu se sair bem nos processos avaliados. Destacam-se aquelas que comunicam o resultado de aprovação rapidamente, oferecem condições especiais de pagamento da matrícula e opções de descontos e/ou financiamentos, além de divulgar de modo claro e por diferentes meios – email, SMS, telefone, whatsapp – os procedimentos de matrícula, tornando simples e objetiva esta etapa para o candidato.

Os resultados do estudo apresentam um cenário ainda menos favorável a partir do ingresso do estudante nos cursos das IES pesquisadas. Pouco mais de 20% das instituições entrou em contato com o aluno nos primeiros dias após a matrícula, oferecendo tutoriais para uso do ambiente virtual de aprendizagem (AVA) e contato direto do tutor online. Ao longo do primeiro semestre de experiência como estudantes das IES do estudo, diferenciaram-se aquelas que mantiveram contato próximo dos tutores, com acompanhamento de atividades e auxílio nas dúvidas acadêmicas. Em relação à plataforma de ensino e aos materiais disponibilizados no AVA, o desempenho das instituições foi um pouco melhor, com mais da metade do grupo ofertando conteúdo adequado. Por fim, ao se aproximar do período de rematrícula, apenas uma das instituições se antecipou enviando informações sobre o processo e ofertou alternativas para alunos com problemas financeiros ou pendências acadêmicas, o que pode evitar a evasão de alunos.

A conclusão do estudo mostra que “relacionamento” é a palavra-chave para as instituições que buscam se diferenciar! Quem desejar ser líder de mercado precisa ouvir os alunos e compreender o perfil dos candidatos, auxiliá-los na tomada de decisão, com assertividade na comunicação e serviços que simplifiquem a jornada do estudante EAD, facilitando o processo de escolha pelo curso e o caminho até a matrícula.